Cemig formaliza compra do capital da Gasmig que pertencia a Petrobrás

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) assumiu o controle de 99,57% das ações da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig). A empresa formalizou nesta terça-feira (29) a compra de 40% do capital que pertencia a Petrobrás.

A Prefeitura de Belo Horizonte detém 0,43% das ações da Gasmig.

De acordo com o governador Alberto Pinto Coelho, esse é mais um passo importante para a viabilização do gasoduto Queluzito-Uberaba, necessário para a implantação da fábrica de amônia, que já está sendo construída pela Petrobrás, no Triângulo Mineiro.

Para que o gasoduto seja contruído - ele deve custar cerca de R$ 1,8 bilhão - a Cemig alega que são necessários investimentos estrangeiros. Mas isso só poderá ser feito se a chamada PEC 68 for aprovada pela Assembléia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Isso possibilitaria que a espanhola Gás Natural Fenosa (GNF) fosse parceira da Cemig na construção do empreendimento.

A proposta altera a redação do artigo 14, que só autoriza a privatização de uma empresa de economia mista ou pública com a criação de uma lei complementar com aprovação de três quintos dos deputados e ainda um referendo popular.

Uma comissão foi criada para analisar a PEC 68 que só deve voltar à pauta no segundo semestre, depois do recesso parlamentar.

Expansão

De acordo com governador Alberto Pinto Coelho, a compra das ações da Petrobrás é uma etapa importante para o desenvolvimento econômico do Triângulo Mineiro.  "O gás é um atrativo fundamental na decisão dos empresários para os seus empreendimentos, pelo custo e como alternativa energética", apontou.

O gasoduto deve passar por 56 cidades mineiras. O sistema de distribuição de gás neste percurso está orçado em cerca de R$ 2 bilhões, de acordo com o Governo do Estado.

Fonte:www.cbnfoz.com.br


Companhia da Mídia